Igreja de Almargem do Bispo
Esta igreja, também conhecida por Igreja de S. Pedro, foi mandada construir no século XVI. Teve algumas alterações posteriores, nomeadamente a torre do sino (parte do edifício que se chama exatamente "torre sineira"), que foi construída no século XVII.
Informações relacionadas:


i_0000004a

(Fotografia da Junta de Freguesia de Almargem do Bispo, aqui: www.jf-almargemdobispo.pt)
Igreja de São Pedro de Almargem do Bispo
Para os meus pais e professores
lerem comigo
Texto retirado do sítio na Web do Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico, da autoria de Catarina Oliveira / GIF/ IPPAR / 2005, AQUI

Parte 1

Embora sejam conhecidas referências à povoação de Almargem desde o início do século XIII, a constituição de uma paróquia naquela localidade foi muito tardia. No século XV o espaço que correspondia à povoação de Almargem estava dividido em duas partes, uma pertencente ao termo de Sintra, integrada na paróquia de São Pedro de Canaferrim, outra integrada no termo de Lisboa.


Em meados do século XVI D. Miguel de Castro, bispo de Viseu e arcebispo de Lisboa, que era proprietário de várias terras naquela povoação, determinou a criação da paróquia de São Pedro de Almargem do Bispo, sendo então iniciada a edificação da igreja matriz.

Parte 2

De modelo maneirista de tipologia chã, com planimetria longitudinal composta pelos volumes correspondentes à nave e à capela-mor, pouco profunda, a matriz de Almargem do Bispo apresenta uma frontaria simples, destituída de decoração, precedida por escadaria, com contrafortes laterais e portal de moldura rectangular encimada por janela de moldura semelhante. No lado do Evangelho a fachada é interrompida pela sineira, edificada no século XVII.

Interiormente, a igreja divide-se em três naves, marcadas por arcos de volta perfeita assentes em colunas toscanas. Tanto estas como o intradorso dos arcos são decorados com pintura decorativa de brutesco. Os panos murários são decorados com azulejos de tapete seiscentistas, e o espaço das naves é coberto por tecto de masseira com caixotões pintados.

A capela-mor é uma obra setecentista, tendo sido edificado ao centro retábulo de talha dourado e policromado, com sacrário e trono ladeados por imagens de São Pedro e São Paulo. O conjunto é rematado por frontão contracurvado, no qual foram inseridos painéis com representações da Anunciação e da Coroação da Virgem. O espaço da capela-mor é revestido com azulejos de padrão geométrico.

 
Se encontrares algum erro nesta página ou se tiveres mais alguma informação, contacta-nos.
Também podes contribuir com a tua criatividade: envia-nos os teus textos e/ou ilustrações! Vê como aqui.